mulher ansiosaO transtorno afetivo bipolar ou transtorno de humor bipolar é uma doença psiquiátrica e comportamental crônica caracterizada pela oscilação entre a felicidade extrema e a depressão, com alguns períodos de normalidade. E porque tem esse nome? Esse nome vem exatamente do aspecto principal da doença que tem dois pólos opostos ou seja, o pólo positivo (a euforia ou mania), e o negativo (a depressão).

Seus sintomas variam de pessoa pra pessoa em níveis diferentes e acomete ambos os sexos. O transtorno bipolar é a 6ª maior causa de incapacitação segundo a organização mundial da saúde. Ainda não se conhece sua causa mas acredita-se que seja um mal funcionamento dos neurotransmissores cerebrais.

Hoje em dia essa doença já é bem mais conhecida, e as pessoas estão melhor informadas sobre o assunto, mas há anos atrás quem sofria desse mal era tido como alguém com dupla personalidade. O termo transtorno bipolar é relativamente novo, antigamente era chamado de transtorno psicose maníaco depressiva, porém esse termo fora abandonado por não se tratar de um tipo de psicose.

Se não tratado corretamente o transtorno pode trazer uma sobrevida mais curta devido a comportamentos de risco tanto na depressão quando na euforia.

A Gangorra

O transtorno bipolar é caracterizado por variações bruscas de humor sofridas pelo indivíduo. Como se estivesse numa gangorra, ele oscila entre a ansiedade, a falta de interesse, a alegria, a tristeza, a hiperatividade, a lentidão o apresso e o desdém. Todos nós temos em certos momentos variações de humor devido as circunstâncias do dia a dia, problemas, frustrações, stress, variações hormonais etc. Mas a pessoa bipolar tem essas mudanças de humor sem uma causa aparente e suas mudanças são muito mais intensas e repentinas. A duração das crises varia de pessoa para pessoa, mas dura em media uma semana.

As crises de depressão podem ser tão profundas a ponto de levar a pessoa a suicidar-se. E numa crise de euforia a pessoa pode gastar todo seu dinheiro em uma viajem a um pais exótico, em roupas ou jogos de azar, pois nessa fase o senso crítico fica comprometido e a pessoa não consegue se controlar. A euforia pode também levar ao suicídio tanto quanto a depressão, pois há o sentimento de onipotência e imortalidade o que leva a situações de risco.

A pessoa bipolar não consegue compreender seu estado e muitas vezes recusa o tratamento por pensar que está tudo normal. As fases de excitação e euforia são preferidas à depressão. É mais comum procurarem ajuda médica durante o estado de depressão. Existem dois níveis de bipolaridade: o Tipo I que se caracteriza pela depressão e mania e o tipo II que é mais leve, caracterizado pela depressão e hipomania. Segundo pesquisas existe hoje no Brasil 1,2% pessoas com o tipo I e 3% com o tipo II. A taxa de suicídios é bem alta e chega a 19%.

A genética esta diretamente ligada a bipolaridade, contribui em cerca de 50% dos casos, se o pai, a mãe ou os avós tem o transtorno é possível que os filhos e netos venham a ser bipolares. Embora seja a principal causa, há pacientes que dizem ter tido a primeira crise já adultos entre 20 e 30 anos, quando passaram por alguma situação muito angustiante como desemprego, perda de um ente querido, problemas com drogas, traumas entre outros, mas a doença também pode aparecer na infância e após os 70 anos. O uso de drogas como craque, cocaína, anfetaminas e remédios para emagrecer também contribuem para a aparição ou agravamento da doença.

A falta de informação de grande parte das pessoas faz com que elas enxerguem o bipolar como uma pessoa sem força de vontade que usa a doença para não enfrentar a vida e para receber atenção, ou até mesmo como uma pessoa louca, mas na verdade as crises independem da vontade da pessoa, ela não escolhe estar depressiva ou eufórica isso é algo involuntário, pois se trata de um problema biológico.

O Estado Misto

A bipolaridade às vezes não apresenta um padrão de sensações e estados de humor e nem um mesmo tempo de duração das crises. Por isso, existe o que chamamos de estado misto, ou seja, os vários estados podem estar presentes ao mesmo tempo, ou no mesmo dia. A pessoa pode passar o dia eufórico e a noite ficar depressivo ou ao contrário. Pode ficar agitada e angustiada ao mesmo tempo, tem mudanças drásticas de idéia, se contradizem ao longo do dia e a modificar o semblante, passa a impressão de ser confusa. Esse estado se caracteriza pela mistura de humor e não necessariamente por uma fase mais longa de depressão e euforia. O estado misto pode acorrer em crianças ou quando a doença já se encontra em estado avançado.

Transtornos Ciclotímicos

Momentos em que há alteração crônica do humor marcada por muitos períodos de mania e muitos depressivos, portanto não ocorrem em quantidade suficiente para se definir como de depressão ou mania. Isso pode ser interpretado como o jeito "de lua" de ser da pessoa.